Entretenimento

Os Melhores Livros de Todos os Tempos – TOP 100 Obras

Confira as Top Melhores Obras de Livros de Todos os Tempos

Os 100 melhores livros de todos os tempos representam um tesouro inestimável na literatura, repleto de histórias que transcendem as fronteiras do tempo e da cultura. Neste artigo, vamos listar todos esses tesouros literários e, em seguida, explorar em detalhes 10 deles, demonstrando a diversidade e a profundidade da literatura mundial. A literatura é um universo rico e fascinante, e esses 100 livros são verdadeiras joias em seu interior.

Como Listamos os Melhores Livros?

Afinal, quais obras merecem o título de melhores livros da história? E quanto ao mais famoso? Será que o Nobel de Literatura é o critério definitivo para isso? Ou será que a popularidade das obras é o fator preponderante? Como base utilizamos a pesquisa em sites com renome, estante virtual, Skoob, dentre outros.

Os 100 Melhores Livros de Todos os Tempos

  1. “Dom Quixote” – Miguel de Cervantes
  2. “Em Busca do Tempo Perdido” – Marcel Proust
  3. “Ulisses” – James Joyce
  4. “Cem Anos de Solidão” – Gabriel García Márquez
  5. “A Odisséia” – Homero
  6. “1984” – George Orwell
  7. “Grande Sertão: Veredas” – Guimarães Rosa
  8. “A Divina Comédia” – Dante Alighieri
  9. “Crime e Castigo” – Fyodor Dostoevsky
  10. “Ensaio sobre a Cegueira” – José Saramago
  11. “A Metamorfose” – Franz Kafka
  12. “O Grande Gatsby” – F. Scott Fitzgerald
  13. “Moby Dick” – Herman Melville
  14. “O Apanhador no Campo de Centeio” – J.D. Salinger
  15. “Orgulho e Preconceito” – Jane Austen
  16. “Cemitério de Elefantes” – Stephen King
  17. “O Som e a Fúria” – William Faulkner
  18. “Os Miseráveis” – Victor Hugo
  19. “A Insustentável Leveza do Ser” – Milan Kundera
  20. “A Guerra dos Tronos” – George R.R. Martin
  21. “O Senhor dos Anéis” – J.R.R. Tolkien
  22. “Crime e Punição” – Fiódor Dostoiévski
  23. “O Pequeno Príncipe” – Antoine de Saint-Exupéry
  24. “A Revolução dos Bichos” – George Orwell
  25. “O Retrato de Dorian Gray” – Oscar Wilde
  26. “Amor nos Tempos do Cólera” – Gabriel García Márquez
  27. “Os Irmãos Karamazov” – Fiódor Dostoiévski
  28. “Maus” – Art Spiegelman
  29. “O Sol é para Todos” – Harper Lee
  30. “A Insustentável Leveza do Ser” – Milan Kundera
  31. “Cemitério de Animais” – Stephen King
  32. “A Máquina do Tempo” – H.G. Wells
  33. “O Nome da Rosa” – Umberto Eco
  34. Dom Casmurro” – Machado de Assis
  35. “O Estrangeiro” – Albert Camus
  36. “A Peste” – Albert Camus
  37. “Morte em Veneza” – Thomas Mann
  38. “Lolita” – Vladimir Nabokov
  39. “A Montanha Mágica” – Thomas Mann
  40. “As Vinhas da Ira” – John Steinbeck
  41. “O Amor nos Tempos de Cólera” – Gabriel García Márquez
  42. “Os Homens que Não Amavam as Mulheres” – Stieg Larsson
  43. “O Morro dos Ventos Uivantes” – Emily Brontë
  44. “O Processo” – Franz Kafka
  45. “A Sangue Frio” – Truman Capote
  46. “O Coração das Trevas” – Joseph Conrad
  47. “O Código Da Vinci” – Dan Brown
  48. “O Retrato de uma Senhora” – Henry James
  49. “Morte em Veneza” – Thomas Mann
  50. “O Leopardo” – Giuseppe Tomasi di Lampedusa
  51. “O Jogo da Amarelinha” – Julio Cortázar
  52. “Cândido, ou O Otimismo” – Voltaire
  53. “O Processo” – Franz Kafka
  54. “O Velho e o Mar” – Ernest Hemingway
  55. “Os Três Mosqueteiros” – Alexandre Dumas
  56. “Os Sofrimentos do Jovem Werther” – Johann Wolfgang von Goethe
  57. “O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde” – Robert Louis Stevenson
  58. “A Máquina do Tempo” – H.G. Wells
  59. “O Livro das Mil e Uma Noites” – Anônimo
  60. “O Médico e o Monstro” – Robert Louis Stevenson
  61. “1984” – George Orwell
  62. “Fahrenheit 451” – Ray Bradbury
  63. “O Sol Também se Levanta” – Ernest Hemingway
  64. “A Revolta de Atlas” – Ayn Rand
  65. “Vinte Mil Léguas Submarinas” – Júlio Verne
  66. “O Mundo de Sofia” – Jostein Gaarder
  67. “O Senhor das Moscas” – William Golding
  68. “O Iluminado” – Stephen King
  69. “A Revolução dos Bichos” – George Orwell
  70. “A Insustentável Leveza do Ser” – Milan Kundera
  71. “A Cidade e as Serras” – Eça de Queirós
  72. “Os Cadernos de Malte Laurids Brigge” – Rainer Maria Rilke
  73. “Laranja Mecânica” – Anthony Burgess
  74. “O Jardim dos Finzi-Contini” – Giorgio Bassani
  75. “Assassinato no Expresso Oriente” – Agatha Christie
  76. “O Conto da Aia” – Margaret Atwood
  77. “O Lobo da Estepe” – Hermann Hesse
  78. “O Mágico de Oz” – L. Frank Baum
  79. “O Mestre e Margarida” – Mikhail Bulgakov
  80. “O Senhor dos Anéis” – J.R.R. Tolkien
  81. “A Redoma de Vidro” – Sylvia Plath
  82. “As Aventuras de Sherlock Holmes” – Arthur Conan Doyle
  83. “O Despertar” – Kate Chopin
  84. “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade” – Yuval Noah Harari
  85. “O Senhor das Moscas” – William Golding
  86. “Pedro Páramo” – Juan Rulfo
  87. “1984” – George Orwell
  88. “O Alquimista” – Paulo Coelho
  89. “A Vida de Pi” – Yann Martel
  90. “A Sombra do Vento” – Carlos Ruiz Zafón
  91. “Mrs. Dalloway” – Virginia Woolf
  92. “O Processo” – Franz Kafka
  93. “A Paixão Segundo G.H.” – Clarice Lispector
  94. “Os Maias” – José Maria de Eça de Queirós
  95. “O Monte dos Vendavais” – Emily Brontë
  96. “O Lobo da Estepe” – Hermann Hesse
  97. “O Médico e o Monstro” – Robert Louis Stevenson
  98. “A Comédia Humana” – Honoré de Balzac
  99. “O Grande Gatsby” – F. Scott Fitzgerald
  100. “O Código Da Vinci” – Dan Brown

Lembrando que a lista não tem hierarquia, abaixo vamos mostrar alguns destaques desses livros, porém cada um deles marcou sua história e indicamos a literatura.

Destaque Entre os 10 dos Melhores Livros de Todos os Tempos

“Dom Quixote” – Miguel de Cervantes

Melhores Livros de Todos os Tempos - Dom Quixote

“Dom Quixote,” também grafado como “Dom Quixote,” é um romance escrito pelo autor espanhol Miguel de Cervantes. É considerado uma das maiores obras da literatura mundial e foi publicado pela primeira vez em duas partes em 1605 e 1615. O título completo do romance é “O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha” (em espanhol, “El ingenioso hidalgo don Quijote de la Mancha”).

“Em Busca do Tempo Perdido” – Marcel Proust:

“Em Busca do Tempo Perdido” é uma obra monumental escrita pelo autor francês Marcel Proust. O título original em francês é “À la recherche du temps perdu.” Esta é uma série de sete volumes publicada entre 1913 e 1927. A obra é conhecida por sua complexidade, riqueza literária e por explorar temas como memória, tempo, amor e sociedade.

Os sete volumes que compõem “Em Busca do Tempo Perdido” são:

  1. “No Caminho de Swann” (“Du côté de chez Swann”)
  2. “À Sombra das Raparigas em Flor” (“À l’ombre des jeunes filles en fleurs”)
  3. “O Caminho de Guermantes” (“Le Côté de Guermantes”)
  4. “Sodoma e Gomorra” (“Sodome et Gomorrhe”)
  5. “A Prisioneira” (“La Prisonnière”)
  6. “A Fugitiva” (“Albertine disparue” ou “La Fugitive”)
  7. “O Tempo Recuperado” (“Le Temps retrouvé”)

A obra é considerada uma das mais importantes da literatura do século XX e é conhecida por seu estilo literário inovador e pela exploração profunda da psicologia dos personagens. Marcel Proust é um dos autores mais influentes da literatura moderna e “Em Busca do Tempo Perdido” é uma de suas obras mais celebradas.

Confira Também: Caminho Traçado Meu Bebe é Filho do CEO em PDF.

“Ulisses” – James Joyce:

Melhores Livros de Todos os Tempos - Ulisses
“Ulisses” é uma das obras literárias mais famosas e complexas do autor irlandês James Joyce. Publicado pela primeira vez em 1922, o romance é uma reinterpretação modernista da Odisseia de Homero, situando a ação em um único dia, 16 de junho de 1904, na cidade de Dublin, Irlanda. Este dia ficou conhecido como “Bloomsday” em homenagem a Leopold Bloom, um dos personagens principais da história.

A trama segue as vidas de três personagens principais: Leopold Bloom, Molly Bloom e Stephen Dedalus, enquanto eles percorrem as ruas de Dublin. O livro é notável por seu estilo literário inovador, que inclui fluxo de consciência, paródia de diversos estilos literários e uma rica intertextualidade.

“Ulisses” é uma obra densa e desafiadora, conhecida por suas referências literárias, históricas e culturais, além de explorar temas como a identidade, a alienação, a religião e o destino humano. É considerado um dos romances mais influentes do século XX e é frequentemente citado como um marco do modernismo literário.

“Cem Anos de Solidão” – Gabriel García Márquez:

cem anos de solidao

“Cem Anos de Solidão” é um romance do renomado autor colombiano Gabriel García Márquez, publicado em 1967. É uma das obras mais famosas e influentes da literatura do século XX e é frequentemente considerada uma obra-prima do realismo mágico.

O romance conta a história da família Buendía ao longo de sete gerações na fictícia cidade de Macondo, na Colômbia. A narrativa é rica em elementos mágicos e surreais, em que eventos fantásticos ocorrem ao lado de acontecimentos históricos da América Latina. O livro mistura realidade e fantasia de forma única, criando um mundo mágico e ao mesmo tempo profundamente humano.

“Cem Anos de Solidão” aborda temas como amor, solidão, poder, revolução, decadência e mortalidade. A obra também é conhecida por sua linguagem poética e evocativa. Gabriel García Márquez ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1982, em grande parte devido a sua contribuição para a literatura com esta obra e outras que exploram o realismo mágico. O livro é amplamente lido e estudado em todo o mundo e continua a ser uma referência importante na literatura contemporânea.

“A Odisséia” – Homero:

Melhores Livros A Odisseia

“A Odisséia” é um dos dois épicos atribuídos ao poeta grego Homero, sendo o outro a “Ilíada.” Este poema épico, escrito na Grécia Antiga, narra as aventuras do herói grego Odisseu (ou Ulisses, em latim) enquanto ele tenta retornar para sua terra natal, Ítaca, após a conclusão da Guerra de Troia.

A história da “Odisséia” começa quando Odisseu e seus companheiros enfrentam inúmeras adversidades em sua viagem de volta para casa, incluindo encontros com deuses, monstros e feiticeiras. Odisseu é conhecido por sua astúcia e inteligência, e é por meio dessas características que ele supera os desafios que encontra no caminho.

Um dos aspectos mais marcantes da “Odisséia” é a espera de Penélope, esposa de Odisseu, durante sua ausência de vinte anos. Durante esse tempo, muitos pretendentes tentam convencê-la a se casar com um deles, acreditando que Odisseu está morto. No entanto, Penélope é fiel ao seu esposo e utiliza artifícios para adiar sua decisão.

A “Odisséia” é uma obra rica em mitologia grega, aventuras emocionantes e reflexões sobre temas como coragem, lealdade, astúcia e a natureza humana. É uma das obras literárias mais importantes da antiguidade clássica e continua a ser amplamente lida e estudada até os dias de hoje.

“1984” – George Orwell:

Melhores Livros - 1984

O livro “1984” é um romance distópico escrito pelo autor britânico George Orwell e publicado em 1949. O livro descreve um futuro totalitário sombrio e opressivo, onde o governo controla cada aspecto da vida dos cidadãos, incluindo o pensamento e a linguagem. O romance é ambientado em um país fictício chamado Oceania e segue a vida do protagonista Winston Smith, um funcionário público que trabalha no Ministério da Verdade, onde é responsável por reescrever a história de acordo com os interesses do Partido.

Alguns dos elementos mais marcantes de “1984” incluem:

  1. Grande Irmão: Um líder totalitário onipresente que é adorado pelo Partido e usado como um símbolo de controle e vigilância constante.
  2. Duplipensar: A ideia de que a sociedade é forçada a aceitar duas ideias contraditórias ao mesmo tempo, aceitando ambas sem questionar.
  3. Novilíngua: Uma linguagem criada pelo Partido para limitar o pensamento e a expressão, eliminando palavras e conceitos que poderiam ser usados para resistir ao controle do governo.
  4. A Polícia do Pensamento: Uma organização governamental encarregada de identificar e eliminar qualquer forma de pensamento dissidente.

O romance é uma crítica poderosa aos regimes totalitários, à propaganda política, à censura e à manipulação da verdade. Ele alerta sobre os perigos do poder absoluto e da perda da liberdade individual. A frase “Big Brother está de olho em você” (Big Brother is watching you), que é proferida no livro, tornou-se um ícone da vigilância estatal e do controle governamental.

“1984” é uma obra literária influente que continua a ser lida e discutida por seu retrato sombrio de um mundo em que a liberdade e a privacidade são reprimidas em nome do poder do Estado.

“Grande Sertão: Veredas” – Guimarães Rosa:

Grandes sertoes

“Grande Sertão: Veredas” é uma das obras literárias mais importantes da literatura brasileira, escrita pelo autor João Guimarães Rosa. Publicado em 1956, o livro é uma narrativa complexa e única, situada no sertão brasileiro e inspirada pelas experiências de Guimarães Rosa como médico no interior de Minas Gerais.

O romance é conhecido por seu estilo literário inovador, que inclui uma linguagem repleta de neologismos, regionalismos e arcaísmos, criando assim uma prosa poética e desafiadora para o leitor. A história é contada pelo protagonista, Riobaldo Tatarana, um jagunço (bandoleiro) que se torna líder de um bando de cangaceiros. Riobaldo narra suas experiências, reflexões e conflitos existenciais enquanto se envolve em conflitos violentos no sertão, incluindo confrontos com o temido Hermógenes.

“Grande Sertão: Veredas” explora uma variedade de temas, como identidade, moralidade, conflitos internos, a luta pelo poder e a complexidade da vida no sertão brasileiro. Além disso, o livro faz uso do sertão como um cenário simbólico para explorar a condição humana em sua essência mais profunda.

A obra é considerada uma das maiores realizações da literatura brasileira e uma das mais importantes do século XX. João Guimarães Rosa é elogiado por sua maestria na criação de personagens complexos e na exploração da língua portuguesa. “Grande Sertão: Veredas” continua a ser estudado e celebrado por sua originalidade e influência duradoura na literatura brasileira e mundial.

“A Divina Comédia” – Dante Alighieri:

A divina comedia melhores livros

“A Divina Comédia” é um poema épico escrito pelo poeta italiano Dante Alighieri no início do século XIV. É considerada uma das obras mais importantes da literatura mundial e uma das maiores realizações da literatura italiana.

A obra é composta por três partes principais, cada uma das quais representa uma jornada do protagonista, Dante, através do mundo espiritual:

  1. Inferno: A primeira parte narra a jornada de Dante através do Inferno, onde ele encontra uma série de almas condenadas a sofrer punições específicas para os pecados que cometeram em vida. O poema descreve os nove círculos do Inferno, cada um reservado para diferentes tipos de pecadores, com o diabo, Lúcifer, preso no centro.
  2. Purgatório: A segunda parte leva Dante através do Purgatório, onde as almas estão em processo de purificação antes de entrar no Paraíso. Neste estágio, as almas sofrem penitências proporcionais aos seus pecados, mas há esperança de redenção.
  3. Paraíso: A terceira parte é a jornada de Dante pelo Paraíso, onde ele ascende através dos nove céus, cada um habitado por almas que alcançaram a bem-aventurança eterna. O poema culmina com a visão de Deus.

“A Divina Comédia” é mais do que uma simples narrativa épica; é uma obra rica em simbolismo e alegoria. Ela aborda temas universais como o pecado, a redenção, a justiça divina e a busca pela verdade e pela salvação. A obra também é notável pelo uso da língua italiana vulgar da época, o que contribuiu para a consolidação dessa variante do italiano como a base da língua literária italiana moderna.

A influência da “A Divina Comédia” na literatura, arte e cultura ao longo dos séculos tem sido imensa, e o poema continua sendo amplamente lido e estudado até os dias de hoje. É uma das obras literárias mais celebradas da história.

Confira: Baixar Livros em PDF

“Crime e Castigo” – Fyodor Dostoevsky:

Crime e castigo melhores livros

“Crime e Castigo” (em russo, “Преступление и наказание” – “Prestupleniye i nakazaniye”) é um dos romances mais famosos e influentes do escritor russo Fiódor Dostoiévski. Foi publicado pela primeira vez em 1866. O romance é uma obra-prima da literatura russa e uma das mais importantes da literatura mundial.

A história gira em torno de Rodion Raskólnikov, um estudante empobrecido e perturbado que comete um assassinato brutal em busca de uma teoria que justifica sua ação. Ele acredita que, ao eliminar uma mulher que considera prejudicial à sociedade, ele está agindo em prol de um bem maior. No entanto, à medida que a narrativa se desenrola, Raskólnikov é atormentado pela culpa e pelo medo de ser descoberto.

“Crime e Castigo” explora profundamente a psicologia de seus personagens, especialmente a mente do protagonista. O livro examina questões existenciais, éticas e morais, incluindo a natureza do crime, o conceito de justiça, o sofrimento humano e a redenção. Além disso, a obra retrata a sociedade russa do século XIX, com suas desigualdades sociais e questões filosóficas.

O romance é conhecido por seu estilo literário denso e profundo, com diálogos filosóficos intensos e análises psicológicas minuciosas. “Crime e Castigo” é considerado um dos maiores feitos da literatura russa e uma das principais obras do realismo literário. A influência de Dostoiévski na literatura e no pensamento filosófico é inegável, e seu trabalho continua a ser estudado e apreciado por leitores em todo o mundo.

“Ensaio sobre a Cegueira” – José Saramago:

Ensaio sobre a cegueira - melhores livros

“Ensaio sobre a Cegueira” é um romance escrito pelo renomado autor português José Saramago, publicado em 1995. A obra é um exemplo notável do estilo literário distintivo de Saramago, caracterizado por seu uso de longas frases, falta de pontuação tradicional e narrativa experimental.

O livro começa com uma epidemia inexplicável de cegueira que se espalha rapidamente por uma cidade não nomeada. À medida que mais e mais pessoas ficam cegas, a sociedade entra em colapso, e o governo decide isolar os cegos em quarentena em um manicômio abandonado.

A história segue um grupo de personagens que são afetados pela cegueira, incluindo um oftalmologista, sua esposa, um ladrão, uma mulher idosa e outros. Cada um deles enfrenta os desafios da cegueira e luta para sobreviver em um ambiente caótico e desumano.

“Ensaio sobre a Cegueira” é uma obra que aborda questões profundas sobre a natureza humana, a sociedade, a moralidade e a empatia. O autor usa a cegueira como uma metáfora para explorar a falta de visão moral e ética em um mundo que muitas vezes parece estar à beira do caos.

José Saramago foi agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura em 1998 em parte devido à sua contribuição literária, incluindo “Ensaio sobre a Cegueira.” O livro foi adaptado para o cinema em 2008, dirigido por Fernando Meirelles e estrelado por Julianne Moore e Mark Ruffalo. É uma obra profundamente impactante que provoca reflexões sobre a condição humana e a fragilidade da sociedade.

Os Melhores Livros de Todos os Tempo: Conclusão

A literatura é um espelho da alma humana, capturando a riqueza da experiência humana e explorando as complexidades da existência. Os 100 melhores livros de todos os tempos representam uma seleção diversificada que abrange diferentes épocas, estilos e culturas. Eles continuam a influenciar e inspirar leitores em todo o mundo, transcendendo as barreiras do tempo e do espaço.

À medida que exploramos essas obras-primas literárias, somos lembrados da importância da leitura como uma ferramenta para expandir nossos horizontes, aprofundar nossa compreensão da humanidade e nutrir nossa imaginação. Portanto, se você busca os melhores livros para ler, essa lista é um guia essencial para embarcar em uma jornada literária enriquecedora e inesquecível. Permita-se ser transportado para mundos imaginativos, desafiadores e emocionantes enquanto mergulha na magia da literatura mundial.